Tablet: como escolher um para minha mãe

O primeiro tablet lançado no mercado, o iPad, foi alvo de muitas críticas sobre sua aparência e utilidade. Semelhante a um iPhone de proporções avantajadas e impossibilitado de fazer chamadas telefônicas, ainda assim foi um sucesso de vendas, acabando por criar um novo mercado e fazendo os consumidores descobrirem após comprá-lo a utilidade que poderia ter.
Se
Apenas três anos após o seu lançamento, a questão “Pra que vou usar um tablet?” ainda é uma pergunta frequente antes de uma compra. Por isso, gostaria de trazer a reflexão sobre sua utilidade, comparando a minha necessidade e a de uma pessoa com um perfil de uso bastante diferente do meu: minha mãe :)

Minha mãe e a tecnologia

Mulheres utilizando um tabletApesar de não ser uma usuária avançada, considero minha mãe com um bom relacionamento com a tecnologia. Como grande parte das pessoas de sua idade, seu maior medo ao lidar com aparelhos eletrônicos é o de fazer algo que possa danificá-los. E nós, filhos, inconscientemente reforçamos muitas vezes esse medo com frases mal colocadas, esquecendo que quando crianças fomos criados justamente ao contrário: tentando, errando e aprendendo.

Para superar essa pequena barreira, bastou ela entender que os benefícios compensavam os riscos. Assim, passou a usar o computador para trocar e-mails com suas clientes, procurar receitas, e ficar por dentro de notícias que não eram comuns na TV. O próximo passo foi o celular, onde descobriu que as mensagens texto são um modo muito mais eficiente de se comunicar com seus filhos.

Considerando esse cenário, possivelmente um tablet recomendado para ela possa ser um pouco diferente do indicado para uma pessoa sem nenhum contato prévio com o computador ou outros dispositivos.

Requisitos

Dona Rosa não costuma digitar textos longos no computador, portanto o teclado físico não é uma grande necessidade. Entretanto, ela acessa frequentemente sites onde se depara com vídeos e banners em flash, como o da Natura. Neles, nem todo o conteúdo é mostrado corretamente no tablet, o que é atualmente o único empecilho para substituir completamente o computador.

Tela e mobilidade

Iphone e iPadOs tablets podem ser divididos em dois grandes segmentos: os de 7 polegadas e os de 10 polegadas. Os de 7 geralmente possuem resolução de 1024 x 600, enquanto os de 10 possuem 1280 x 800. Consequentemente, os tablets menores têm capacidade de mostrar menos informação em uma única tela.

A vantagem dos modelos pequenos está em sua mobilidade. Por ser mais leve, além de ser facilmente carregado em uma bolsa pequena, é mais confortável de ser utilizado para leituras mais longas, pois pode ser segurado com apenas uma mão. Alguns modelos apresentam a mesma quantidade de informação das telas de 10 em telas apenas um pouco maiores que as de 7, o que oferece ótima qualidade de imagem sem aumento significativo do peso.

Para minha mãe, o conforto da leitura de uma tela grande é prioridade sobre a mobilidade, uma vez que não pretende levá-lo para fora de casa. Assim, considero que a melhor opção são os modelos de 10 polegadas.

Conexão de Dados e Conectores

No local onde minha pretende utilizar o tablet existe acesso fácil a uma rede wireless. Além disso, o uso do celular e do tablet são bastante distintos: o celular é usado para ligações e mensagens texto, enquanto o tablet será utilizado para acesso a Internet. Por esse motivo não há necessidade de conexão 3g no modelo que escolheremos.

Entrada para cartão SD e saída HDMI são funcionalidades bastante úteis para quem utiliza o tablet como um dispositivo multimídia. Com eles é possível armazenar grande quantidade de vídeos e fotos, e mostrá-los em televisores ou monitores. Dado que esses itens não estão nas necessidades da minha mãe, não serão priorizados.

Usabilidade e aplicativos

Android-Vs-iOSMinha grande preocupação quanto a esse item é o polêmico tema iOS vs Android. Conheço pessoas que nunca utilizaram um computador e ao se deparar com com iPad (iOS) se identificaram muito com a interface. Por outro lado, o Android 4.0 (também chamado de Icecream Sandwich – ICS) trouxe uma forte reestruturação, tornando mais intuitivo o acesso a várias funcionalidades.

Poderia estender essa discussão por muito tempo, principalmente porque definir qual é melhor está relacionado diretamente a vários fatores. Entre eles quais aplicativos você usa, se estão disponíveis para as ambas plataformas; quais outros dispositivos (notebook, celular, televisão) você possui e pretende integrar com seu tablet; como você usa o tablet, entre outros.

Além de usar a Internet e visualizar fotos, nenhum jogo ou aplicativo muito diferenciado faz parte do dia a dia da minha mãe. Aplicativos mais simples, como o jogo paciência, visualização de fotos, navegação na Internet, música e vídeo são bastante semelhantes nas duas plataformas. Fiz uma experiência deixando-a “se virar” com o meu tablet Android, e pude identificar que ela não teve problemas. Assim, o sistema operacional não será um fator decisivo na escolha do tablet.

Preço

Mesmo com o lançamento de novos modelos, os preços dos tablets não tem reduzido na mesma proporção. Considerando que é possível encontrar notebooks com boas configurações por menos de 1.500 reais e que o tablet não o substituiria completamente, esse preço é o valor máximo aceitável a se pagar para minha mãe.

Os candidatos

Todos os modelos considerados abaixo estão disponíveis para compra no Brasil. Infelizmente, o mercado de tablets é ainda mais restrito que o de celulares.

Apple iPad 2

iPad 2O mais famoso e cobiçado de todos os aparelhos, mesmo não sendo o modelo mais atual ainda brilha aos olhos. O iOS combinado com o hardware do aparelho deixa a experiência de uso muito suave, difícil de comparar com os outros tablets.

  • Tela de 9.7 polegadas, resolução de 1024 x 768 (baixa).
  • iOS pode ser considerado mais fácil de usar que o Android.
  • Sem entrada para cartão SD.
  • Preço: sem 3g: ~1.200 reais. Com 3g: ~1.500 reais.

Samsung Galaxy Tab 2 10.1

Galaxy Tab 2 10.1A Samsung é, com certeza, a fabricante com o maior número de modelos disponíveis no mercado. Com o lançamento dos Galaxy Tab 2, a compra dos modelos anteriores tornou-se praticamente inviável, uma vez que o preço se manteve com um leve ganho em recursos. Podemos encontrar modelos usados por valores entre 800 e 900 reais, mas não acredito que seja um bom negócio.

  • Tela excelente de 10.1 polegadas, resolução de 1280 x 800.
  • Android 4.0.4, atualizável.
  • Com entrada para cartão SD, sem saída HDMI.
  • Preço: sem 3g (P5110): ~1.200 reais. Com 3g: ~1.400 reais

Motorola Xoom 2 10.1

Xoom 2 10.1Com a Motorola, o lançamento da segunda geração de tablets não causou um impacto muito diferente. Ainda podemos encontrar o modelo antigo nas lojas, mas o preço (em torno de 1.100 o modelo com 3g e 1.400 – mais caro – o modelo sem 3g), não considero novamente um bom negócio. A Motorola promete a atualização até a versão 4.1 do Android, mas não tenho certeza se essa já chegou ao tablet. Portanto, segue abaixo a breve avaliação do modelo Xoom 2.

  • Tela muito boa de 10.01 polegadas, resolução de 1280 x 800.
  • Android 4.0.4, atualizável.
  • Entrada para cartão SD, saída HDMI (micro).
  • Preço: com 3g:  ~1.200 reais.

Conclusão

Conforme escrevia esse post, os melhores preços encontrados pra cada um desses modelos foram alterados! Todas as avaliações apontavam para o Xoom 2 10.1 como a melhor opção de compra, entretanto o seu preço subiu de 1.100 reais para 1.200, enquanto os preços do Galaxy Tab 2 10.1 e o iPad 2 sem 3g baixaram bastante. Por fim, todos esses acabaram ficando na mesma faixa de 1.200 reais.

Observando os itens avaliados, ainda assim o Xoom 2 é a melhor opção. Entretanto, os itens de destaque como o 3g e a saída HDMI dedicada, sem necessidade de conectores próprios não são um grande diferencial para minha mãe. Nessa situação, concluo que o melhor seria ter um pouco de paciência e aguardar uma oferta boa por um valor de menso de 1.100 reais, uma vez que não haveria grandes diferenças entre os modelos.

Infelizmente, posts sobre tecnologia sempre ficarão desatualizados um dia. Espero que ao menos a reflexão sobre as necessidades de cada um não seja inútil, e que ajude a pensar que nem sempre o melhor modelo para mim é o melhor para as outras pessoas.

Sua mãe tem outras necessidades? Você consideraria outros modelos nessa comparação? Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *